21 de janeiro de 2013

Opinião Young-Adult: "Golias" de Scott Westerfeld


Este é o primeiro livro a passar por todas as etapas. Chegou cá a casa (Primeiras Impressões), ficou em stanby uns dias, peguei-lhe (Doce do Momento) e agora cá estão as conclusões finais.

Quero um Bovril só para mim! É a primeira coisa que tenho a dizer. Aquele bichinho é a coisinha mais fofinha que li nos últimos tempos, ainda por cima é tão inteligente! Gostei particularmente de quando ele exclamava "Sr. Sharp" e se ria... Um máximo!

O Golias é o terceiro e último livro da trilogia Leviatã - nome de uma enorme baleia voadora, cheia de sílios, habitada por lagartos-correio e cães-farejadores, e dirigida por humanos de duas facções: Darwinistas e Clankers.

Estes dois grupos funcionam muito bem agora, neste volume, mas antes disso tiveram muitas mais aventuras e desavenças (podem ler as opiniões aqui e aqui), aventuras essas protagonizadas pelos dois heróis Alex e Dylan.

Ora porque é que eu escolhi este livro mais Steampunk que romance para pôr aqui? Porque neste caso, apesar de haver muita máquina, tecnologia e magnética, há muito magnetistimo romântico entre a nossa corajosa Dylan e Alex. Por isso aproveito para vos tentar com esta trilogia que adorei ler e com a qual me ri e rangi os dentes muitas vezes.

Para quem não conhece, posso afirmar que na minha opinião, Scott Westerfeld tem um dom. Deve ser dos poucos autores masculinos do qual sou fã. Sou-o porque ele sabe contar histórias fantásticas e criadas dos zero pela imaginação dele como poucos o fazem. Aqui, nesta trilogia, ele pegou na história da Biologia e na da Húngria e criou um mundo onde a guerra se desenrola entre mutações, tanto mecânicas como animais.

Para além disso ele sabe descrever perfeitamente cenários e cenas de combate, cheias de emoções e adrenalina. Com ele não há momentos parados, mas sim de transição entre cenas cheias de movimento. As ilustrações são outro ponto que adoro porque complementam as referidas descrições e auxiliam-nos a imaginar com mais clareza tudo e mais alguma coisa.

Em relação ao livro em questão, penso que toda aquela questão em relação a Tesla me irritou um pouco. Parece-me que os restantes, incluindo a cientista, não se esforçaram o suficiente para o refrear. Em contrapartida adorei todos os salvamentos.

Curiosamente, pensei que o momento alto iria ser a revelação da verdadeira identidade de Dylan a Alex, mas afinal foi tudo muito soft, talvez para não tornar a personagem masculina tão distraida como poderia ser se não o tivesse descoberto como fez. De resto, adorei o entendimento entre eles, sim os beijos, mas penso que Scott Westerfeld ganhou pontos em não tornar o romance entre eles dois como ponto principal, mas inseriu tudo aos poucos, entre os momentos habituais de luta a que ele já nos habituou. Aumentou assim a temperatura até ao culminar de tudo, tanto guerra como romance.

Penso que vou ter saudades, principalmente dos bichinhos estranhos mas inocentes, mas Golias foi um bom final para esta trilogia.

O Leviatã é forçado a desviar-se do seu percurso para resgatar Nicola Tesla, o inventor do Golias, uma máquina capaz de destruir cidades, e que ele usa como trunfo para impor a paz. Quando é descoberto um plano secreto alemão para sabotar a máquina, este ameaça disparála. Este é o espetacular final da trilogia!Batalhas aéreas emocionantes numa viagem à volta do mundo echeada de perigos e... beijos ousados!

Título Original - Goliath
Edição - Março 2012
ISBN - 9789896681517


Sem comentários:

Enviar um comentário

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!