2 de julho de 2017

Opinião Suspense: "O Casal do Lado" de Shari Lapena



Por esta altura já devem saber que os thrillers psicológicos estão a tornar-se num dos meus géneros favoritos e esta novidade de Junho da Editorial Presença veio confirmar este meu gosto.

35293255Já tinha ouvido falar deste livro e sempre tive alguma curiosidade em lê-lo porque a sinopse faz lembrar muito um caso que é bem conhecido de todos os portugueses que o acompanharam na altura: o desparecimento da Maddie McCann. 
Para verem bem o quão é semelhante, vamos lá á premissa do livro: temos um casal - Anne e Marco - que acabaram de ter uma filha, a pequena Cora. Um dia são convidados para um jantar na casa dos vizinhos, só que a vizinha não gosta muito de crianças e eles decidem deixar a bebé sozinha em casa e levam apenas um monitor para controlá-la. Como também decidem de meia em meia hora ver se a bebé está bem, não suspeitam que nada de mal irá acontecer. Errado, pois a bebé desaparece.

Desde logo percebemos que a Anne e o Marco como casal já não funcionam e a pressão de terem uma filha acaba por ainda fragilizar mais o que já não está bem. Sabemos logo também que este é um livro em que nada é o que parece e ao longo das quase 300 páginas, vários segredos vão sendo revelados que nos ajudam a pouco e pouco ir montando o puzzle e tentando entender o que realmente aconteceu à Cora. 

Infelizmente não dá para falar mais do que está escrito na sinopse porque tudo é spoiler. Só posso dizer que é um livro que não pára, há sempre algo a acontecer, não tem tempos mortos. Todas as personagens são mais complexas do que parecem, tirando talvez o detective do caso. O final foi muito surpreendente e mas ao mesmo tempo credível, porque infelizmente há pessoas dispostas a tudo por dinheiro e poder. É um livro que também levanta muitas questões morais, como por exemplo que tipos de pais deixam um filho em casa sozinho, mesmo que ele esteja ali tão perto? É fácil julgar mas cada vez acredito mais que ninguém sabe verdadeiramente o que se passa na vida dos outros. A nível psicológico é um livro com personagens muito interessantes de analisar, pois as personagens passam de culpadas a vítimas e novamente culpadas num virar de páginas. Muito bom.
Outro detalhe interessante é o titulo ambíguo, há tantas reviravoltas no livro que às tantas já não sabemos quem é o casal culpado. 

Talvez para quem tenha filhos seja um livro um pouco difícil de ler pela angústia que é ver um filho desparecido, mas também é um bom livro para refletir sobre certas escolhas que fazemos como pessoas e não como pais, recomendo bastante.


Cynthia disse a Anne que não levasse a filha Cora, a bebé de seis meses, para sua casa na noite do jantar para que ela e o marido Marco tinham sido convidados. Não era nada de pessoal. Ela simplesmente não suportava o choro de crianças. Marco não se opõe. Afinal, eles vivem no apartamento do lado. Têm consigo o intercomunicador e irão alternadamente, de meia em meia hora, ver como está a filha. 
Cora dormia da última vez que Anne a tinha ido ver. Mas, ao subir as escadas da casa em silêncio, ela depara-se com a imagem que sempre a aterrorizou. a menina desapareceu. Anne nunca tivera de chamar a polícia, antes disso. Mas agora eles estão lá, e quem sabe o que irão descobrir... do que seremos capazes, quando levados além dos nossos limites?



Sem comentários:

Enviar um comentário

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!