31 de março de 2017

Origem: "Um momento inesquecível" de Nicholas Sparks



O mais recente livro do tio Nick também já tem a origem por aqui!


Foto de Crónicas de uma Leitora.Resultado de imagem

Na Fila: "Abril"



Abril traz 3 feriados e promete muitas leituras deste lado!

Mafi:
Um Caso Perdido (Hopeless, #1)Uma Nova Esperança (Hopeless, #2)Um Conde Apaixonante (The Rules of Scoundrels, #2)A Magia das Pequenas Coisas (Waverley Family, #2)Os Jantares das Terças (Die Dienstagsfrauen #1)Deixei-te IrDeixa-me IrIrmãsSe Eu Fosse TuaEscrito na Água

Eu devo pensar que em Abril vou estar novamente de férias eheh mas a verdade é que sinto que vou conseguir ler estes livros todos em Abril. Não me perguntem porquê são feelings

Ne
 
Um Caso Perdido (Hopeless, #1)Uma Nova Esperança (Hopeless, #2)

Abril vai ser uma continuação de Março e por isso vou investir nesta escritora. Vai ser ler até enjoar.
Eu e a Mafi vamos fazer leitura conjunta do Um Caso Perdido. Se alguém se quiser juntar é só dizer.

30 de março de 2017

A Sair do Forno: "Divina por Sangue" de P.C. Cast



O terceiro e último. Sai a 13 de Abril de 2017.
Morrigan Christine Parker acaba de fazer 18 anos e carrega o fardo de ser a única filha de Rhiannon MacCallan, alta sacerdotisa da deusa Epona, caída em desgraça. Morrigan passou toda a sua infância e adolescência no Oklahoma, até ao dia em que descobre a verdade sobre as suas origens. A raiva e tristeza que sente são tal que é transportada de volta para o mundo místico de Partholon. Em Partholon sente-se marginalizada e pouco respeitada como filha de uma sacerdotisa, mas quando é confrontada com forças obscuras que desconhece, terá então de aprender a controlar os poderes que sente nascer em si para que possa cumprir - ou não - o seu destino.

Opinião Contemporânea: "9 de Novembro" de Colleen Hoover



Mas o que é que Colleen Hoover tem com os nomes femininos que mais parecem nomes masculinos? É que uma pessoa vai a ler a sinopse a pensar que está a ler o que se refere ao homem da história, depois aparece outro nome masculino e pensa que são gays e no final afinal era uma rapariga! Adora baralhar-nos até na sinopse esta senhora.
Não li a versão portuguesa, confesso, mas resolvi colocar aqui a capa porque ainda não percebi o que a capa tem a ver com a história. O título ok, agora a capa...
Esta história recomendada pela Mafi, como já disse no Doce do Momento, difere do que já li até agora. O facto de apenas conhecermos um dia por ano não torna o livro fraco, torna-o sim orignal. A autora consegue colocar só nesse dia muito do resto dos 364 dias que passaram sem lermos. Assim, tal como as personagens, vamos vendo uma evolução repentina de dia 9 para dia 9 e saltando logo para a parte boa, principalmente porque essa parte inclui o casal principal. Existem outras personagens, mas são todas muito secundárias.
A descrição dos sentimentos das personagens continua a ser o ponto forte da escritora, tal como incluir sempre um ou mais aspectos diferentes. Em Talvez um Dia tivemos links para músicas (acho que não referi isto na minha opinião) e agora tivemos citações e poesia. Tudo fiel aos personagens.
Outro ponto a salientar são as cicatrizes das personagens. Colleen demonstrou, e muito bem, a diferença entre as cicatrizes do interior e do exterior, mas, na minha opinião, poderia ter-se alongado um pouco menos nas cicatrizes, ou na descoberta e descrição destas, de Ben. A carta da mãe é enorme e tive que me obrigar a concentrar nessa parte, o que é estranho porque todo o livro é viciante.
"Amber geme e, em seguida, toca no meu ombro enquanto ela passa. "Apenas o perdoe," diz ela. "Glenn encontrou um membro do género masculino que realmente gosta, e se não perdoares o Ben, vais partir o coração de Glenn.
Ben e Glenn estão ambos em silêncio olhando para mim. Glenn está-me a dar um olhar de cachorrinho e o lábio inferior de Ben está saliente."
Pelo menos as lágrimas foram mais escassas, mas os momentos emotivos continuaram a ser muito intensos. Mantenham afastados os corações mais fracos!
A cena da tatuagem também não me encantou se calhar como devia e mesmo os momentos a dois deles não me pareceram de qualidade. Sim, aconteceu muito drama, principalmente a partir do terceiro 9 de Novembro, e esses são talvez os pontos altos, tal como os mal-entendidos. Acho que o principal defeito deste livro foi mesmo um pouco de palha vamos encontrando. No inicio desculpei por Ben ser escritor e depois o mesmo para a sua mãe, mas comparado com os últimos três livros que li, este foi um pouco mais "desencorajante" com tanto texto para ler.
Gostei das várias reviravoltas na história. Principalmente a primeira ou segunda (depende do que considerarem como reviravolta)! Nunca pensei!
Em relação à parte do humor, aqui é muito escasso e quando há é fraco.
Dei quatro estrelas por causa das temáticas que inclui. Tem várias o que torna tudo muito mais rico e que nos leva a pensar num dos tópicos do costumo: às vezes nem tudo o que parece o é.

No último dia de Fallon em Los Angeles, a sua vida cruza-se com a de Ben e os dois apaixonam-se perdidamente. A química que os une é tão forte e incontrolável que, apesar de Fallon estar a caminho de Nova Iorque, os dois prometem encontrar-se novamente. Os reencontros continuam durante cinco anos, sempre no dia 9 de novembro. Fallon e Ben encontram-se para construírem a sua história de amor, entre as várias relações e atribulações das suas vidas separadas. Apesar de só estarem juntos uma vez por ano, os dois envolvem-se cada vez mais e partilham um amor pleno de entrega, paixão e intensidade, capaz de os transformar e de sarar cicatrizes profundas. Cinco anos depois Fallon descobre que Ben carregou um enorme segredo durante cinco anos. O choque e a desilusão tomam conta do coração da jovem, devastada com a possibilidade de tudo ter sido uma farsa. Estarão os dois preparados para aceitar que as histórias de amor nem sempre têm um final feliz? Ou será Fallon capaz de perdoar o homem que ama?

29 de março de 2017

Doce do Momento: "Amor Cruel" de Colleen Hoover



E o vício continua.
Prefiro o título brasileiro, mas este também não está mal. Pelo menos mantiveram a imagem.
Quando Tate Collins se muda para o apartamento de seu irmão, Corbin, a fim de se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imaginava conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento onde companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin, sabe ser persuasivo... apesar da armadura emocional que usa para esconder um passado de dor.
O que Miles e Tate sentem não é amor à primeira vista, mas uma atracção incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. O rapaz impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será um relacionamento casual. Eles têm a sintonia perfeita. Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.

Primeiras Impressões: "Aristotle and Dante discover the secrets of the Universe" de Benjamin Alire Saenz






Este foi um daqueles livros que sempre pensei que mais tarde u mais cedo chegasse cá. Mas a verdade é que já passaram 5 anos desde a publicação original e até agora nada portanto decidi comprar em inglês.

A capa é m espanto e adoro o design do título, É um romance gay entre 2 adolescentes portanto vai ser uma estreia.

Como digo com todos os livros que mostro aqui, espero ler este ano mas ainda nem li todos os de 2015 quanto mais os que estou a comprar agora ehehe 

Já conheciam este livro? 

 

Encontra as Diferenças: "Isabel de Aragão - Entre o Céu e o Inferno", "Onvoorwaardelijk" e “Prima, le nozze”



As cores de facto fazem toda a diferença.





28 de março de 2017

Primeiras Impressões: "The Hate U Give" de Angie Thomas




Mais um livro de uma compra maluca no Bookdepository.

Este livro é bastante recente, saiu nos últimos dias de Fevereiro e portanto quando, uns dias depois, vi-o com 40% de desconto no Bookdepository nem resisti a comprá-lo. Ai que bom é não haver  lei do preço fixo nos livros em inglês...! 😉

O livro chegou e é maior do que pensava! E a capa tem uma textura que nunca vi num livro! Nem sei bem explicar...não é textura de papel reciclado mas é tipo isso só que em papel fotográfico...ok, não sei explicar mesmo 😝

Gosto imenso da capa e espero que quando o livro sair cá pela Editorial Presença, mantenham a capa ou o estilo dela.

A contra-capa também está bem feita..




Queria pegar-lhe no próximo mês mas não sei se vou ter tempo Mesmo assim, vai se lido este ano!


Compilações: "Talvez Um Dia" e "Talvez Não" de Colleen Hoover



Depois de uma conversa com uma seguidora nossa, que me disse quer um certo personagem de um certo livro desta autora era parecidíssimo a outro personagem masculino que eu tinha adorado, a minha curiosidade aumentou exponencialmente em relação aos romances desta escritora. Vou ser sincera, apesar de já ter ouvido falar bem, nunca li ao pormenor as opiniões de quem leu. Sendo eu uma daquelas que vai pela capa, nenhum dos livros desta autora publicados cá em Portugal me tinha chamado minimamente a atenção e por isso nunca lhes liguei grande coisa. Mas quando comecei a pesquisar e encontrei o Talvez um Dia e li a sinopse fez-se um clique e decidi que tinha que o ler primeiro que os outros todos. E pronto, foi assim que li um ebook de 300 páginas, no meu telemóvel de 5,5'', durante o domingo, dia 26. Foi uma leitura e pêras!
Começando então pelo primeiro volume, Talvez um Dia: este livro está cheio de surpresas que nos apanham bastante despercebidas. Colleen Hoover lança umas dicas e pistas que até apanhamos, mas quando pensamos que sabemos o que vai acontecer, afinal não era bem aquilo. Pelo menos no meu caso.
Existem cinco personagens mais centrais, sendo três mais constantes: Ridge, Sidney e Warren. Depois temos Bridgette, Maggie, Toni e Hunter. Estes dois últimos, como diz a sinopse, são os traidores e Warren e Bridgette os colegas de casa.
Primeiro que tudo aviso que há muitas lágrimas, principalmente vindas de Sidney. E este foi o único ponto negativo de todo o livro. A rapariga tem razões para chorar, mas ela tanto chora na desgraça como na alegria. Passa o tempo a chorar. O que vale é que Ridge não se importa.
Não querendo entrar em spoilers e sendo muito indirecta, posso dizer que este romance abrange vários temas mais centrais, sendo alguns deles não muito habituais. Imaginem que vão ler um livro da Dorothy Koomson pela primeira vez, e só quando chegam quase a meio é que se apercebem que a personagem que está a contar tudo é preta. Aqui é algo parecido, em termos de situação, e vai-nos acontecer mais que uma vez pela mesma razão e outras por outras razões.
Todos os personagens têm uma carga pesada em termos de Passado, o que vai aumentar a empatia e juntá-la à atracção que os meninos que aqui nos aparecem nos fazem sentir. Digo desde já que homens como Ridge não existem no mundo real, mas podem haver alguns parecidos. E por isso vamos gostar imenso desta personagem, porque as atitudes dele do início ao fim vão ser do mais correcto que há.
Também como diz a sinopse, vai haver ali uma questão complicada. Sidney foi traída e não quer ser traidora e fazer aos outros o que lhe fizeram a ela, mas Colleen Hoover é "ruim" e vai colocar esta personagem e outra muito à prova. E, não bastante, perto do mim ainda dá mais uma machadada. Enfim, muitas razões para chorar por isso cuidado leitoras mais sensíveis! Esta situação não deve ser rara nos nossos dias, mas a autora descreve muito bem o sentimento das situações e foi aí que ela me conquistou. Colleen não prima pelos diálogos fáceis e fluídos, pelo contrário, aposta nos discursos longos ou é forreta nos diálogos curtos, e, para além disso, descreve imenso e esmiúça cada situação, cada sentimento. Ora para quem adora diálogos rápidos no inicio estranhei um pouco e já estava pronta para ler na diagonal aqueles parágrafos enormes, mas depois arrisquei e não é que gostei do que li e aquilo me agarrou completamente?! Portanto preparem-se para lamechice ao máximo, mas daquelas que nós, românticas, adoramos. Muito drama, muita acção também (incluindo murros), muito romance, muita faísca e atracção, daquela que até temos pena dos coitados, e muita brincadeira também (responsabilidade do Warren).
No volume seguinte e único que ainda existe por enquanto, a história que nos é apresentada é a de Warren e Bridgette, quem já conhecemos do primeiro volume mas quase nada sabemos deles.Enquanto que Ridge e Sidney seriam um casal perfeito, estes dois não o são. Parecem completamente diferentes um do outro, mas logo nos primeiros capítulos percebemos que afinal estávamos muito enganadas. Eles complementam-se também.
Aqui encontramos tanta atracção física como no anterior e como este volume tem muito menos páginas, até parece que tudo está compactado, tanto as surpresas que a autora tanto gosta de nos fazer, como as faíscas entre dois personagens. Estes momentos de alta tensão são os meus preferidos, porque fazem disparar a expectativa do momento final. E raios, se a autora na maior parte das vezes não nos faz a vontade! Tortura a 100%. Preparem os vossos corações e tomem os comprimidos para as arritmias, porque se não bem podem precisar do INEM. Ahahahahah
"- Tu beijas como se tivesses a tentar ressuscitar um gato morto. - diz ela, desgostosa.
- Tu beijas como se fosses um gato morto."
Enquanto com Ridge é só expectativa, com Warren a escritora ficou mais atrevida e podemos ler as cenas sexuais com mais pormenor e em muito mais quantidade! Os problemas da personagem feminina principal acabam por ser mais graves, mas a autora preferiu passar à frente muito rápido. Se este pequeno livro era para ser mais compacto e condensado conseguiu e o facto de ter fugido àquele assunto resultou melhor assim, dando só ênfase na insegurança dela no que toca a relações.
No final ficámos sem saber afinal acerca do tal filme porno!
"- O que diabos estás a fazer? - Brennan pergunta.
Eu pressiono a minha anca contra o colchão para que possa gesticular de volta para eles. - Bridgette e eu vamos morar juntos.
Ridge e Brennan entreolham-se, depois de volta para mim. - Mas... vocês já moram juntos. - diz Brennan."
No final foi um livro muito fofo, sem grandes dramas e cheio de cenas divertidas. Incluindo o miúdo morto!! Ahahahah Melhor cena de todas.
Espero que saia mais algum volume e torço para que seja sobre Brennan que infelizmente prometia muita coisa, mas acabou por não ter muita relevância no primeiro volume.
Em relação a Maggie também gostava de saber mais qualquer coisa, mas não o suficiente para um volume inteiro. Talvez um conto como o de Warren.

Sydney acabou de completar 22 anos e já fez algo inédito em sua vida: socou a cara da ex- melhor amiga. Até hoje, ela não podia reclamar da vida. Um namorado atencioso, uma melhor amiga com quem dividia o apartamento... Tudo bem, até Sydney descobrir que as duas pessoas em quem mais confiava se pegavam quando ela não estava por perto. Até que foi um soco merecido. Sydney encontra abrigo na casa de Ridge. Um músico cujo talento ela vinha admirando há um tempo. Juntos, os dois descobrem um entrosamento fora do comum para compor e uma atracção que só cresce com o tempo. O problema é que Ridge tem uma namorada, e a última coisa que Sydney precisa agora é se transformar numa traidora.
Quando Warren tem a oportunidade de viver com uma colega de quarto, ele instantaneamente concorda. Poderia ser uma mudança excitante. Ou talvez não. Especialmente quando essa colega é a fria e, aparentemente, calculista Bridgette. Tensões vão a mil e os temperamentos explodem pelo fato de os dois não suportarem estarem juntos no mesmo lugar. Mas Warren tem uma teoria sobre Bridgette: qualquer um que possa odiar com tanta intensidade também pode amar com a mesma intensidade. E ele quer ser o primeiro a testar essa teoria. Será que Bridgette irá dar uma chance para Warren e, finalmente, aprender a amar? Talvez sim. Talvez não.

Origem: "A Conspiração dos Tudor" e "A Vingança de Lorde Eberlin"





Depois de o "Encontra as Diferenças" aqui está a imagem original que deu duas capas portuguesas! :)



26820098Photo by Lee Avison ~Manor Born~:

27 de março de 2017

Doce do Momento: "9 de Novembro" de Colleen Hoover



Depois de um livro e meio, confesso que estou encantada com a escrita de Colleen por isso enquanto estou para aqui virada vou continuar nesta maratona. A Mafi sugeriu-me este e por isso este é o escolhido para a 3ª leitura desta autora.
Vou continuar até enjoar!
Esta sinopse está corrigida de todos os sítios onde a procurei. Mesmo em sites oficiais copiaram e colaram-na sem ler e corrigir os erros... Enfim...
No último dia de Fallon em Los Angeles, a sua vida cruza-se com a de Ben e os dois apaixonam-se perdidamente. A química que os une é tão forte e incontrolável que, apesar de Fallon estar a caminho de Nova Iorque, os dois prometem encontrar-se novamente. Os reencontros continuam durante cinco anos, sempre no dia 9 de novembro. Fallon e Ben encontram-se para construírem a sua história de amor, entre as várias relações e atribulações das suas vidas separadas. Apesar de só estarem juntos uma vez por ano, os dois envolvem-se cada vez mais e partilham um amor pleno de entrega, paixão e intensidade, capaz de os transformar e de sarar cicatrizes profundas. Cinco anos depois Fallon descobre que Ben carregou um enorme segredo durante cinco anos. O choque e a desilusão tomam conta do coração da jovem, devastada com a possibilidade de tudo ter sido uma farsa. Estarão os dois preparados para aceitar que as histórias de amor nem sempre têm um final feliz? Ou será Fallon capaz de perdoar o homem que ama?

A Entrar do forno: "The diabolic" de S.J Kincaid


26836910

Pela Editorial Presença, vai ser publicado este livro da autora S.J. Kincaid, publicado em Novembro de 2016. A autora já tem uma saga, Insignia, publicada.
Para quem gosta de ficção científica e de distopias, este parece ser um livro interessante.
Pelo Goodreads também podemos ver que vai ser uma trilogia, sendo esperado o segundo para Novembro de 2017.
Nemesis é uma diabólica, uma adolescente humanóide criada para proteger a filha de um senador galáctico, Sidonia. As duas cresceram lado a lado, mas não são de modo algum irmãs. Espera-se que Némesis dê a sua vida por Sidonia, e ela o faria com todo o prazer. Também tiraria tantas vidas quanto necessário para manter Sidonia segura.
Quando o imperador louco de poder aprende que o pai de Sidonia está participando numa rebelião, este convoca Sidonia para a corte galáctica. Ela deve servir como refém. Agora, há apenas uma maneira de Nemesis de proteger Sidonia. Ela deve se tornar nela. Nemesis viaja para o tribunal disfarçada de Sidonia - uma máquina de matar mascarada num mundo de políticos corruptos e filhos de senadores de duas faces. É um ninho de víboras com ameaças de todos os lados, mas Némesis deve manter as suas verdadeiras habilidades em segredo ou arriscar tudo.
Quando o Império começa a fesintegrar-se ea rebelião se aproxima, Nemesis aprende que há algo mais para ela do que apenas força mortal. Ela encontra uma humanidade mais verdadeira do que o que ela encontra na maioria dos humanos. No meio de todo o perigo, ação e intriga, a sua humanidade pode ser a única coisa que salva a sua vida - e o império.

Doce do Momento: "Maybe Not" de Colleen Hoover




Acho que não resisto a saber a história de Warren e de Bridgette. Eles são um casal mesmo muito estranho e diferente.
Quando Warren tem a oportunidade de viver com uma companheira de quarto feminina, ele imediatamente concorda. Poderia ser uma mudança emocionante.
Ou talvez não.
Especialmente quando essa companheira de quarto é a Bridgette fria e aparentemente calculista. As tensões sobem alto e os ânimos alargam-se, já que os dois dificilmente conseguem ficar juntos na mesma sala. Mas Warren tem uma teoria sobre Bridgette: qualquer um que pode odiar com tanta paixão também deve ter a capacidade de amar com tanta paixão. E ele quer ser o único a testar essa teoria.
Irá Bridgette encontrá-lo em si mesma para aquecer o seu coração para Warren e, finalmente, aprender a amar?
Talvez.
Talvez não.

Opinião Sobrenatural: "Ninfas" de Sari Luhtanen



Com uma sinopse tão apetitosa, a expectativa era elevada, mas logo no prólogo e no primeiro capítulo todo o entusiasmo se começa a desvanecer rapidamente. Infelizmente, à medida que fui avançando, foi cada vez mais certo que a leitura não iria melhorar.
Desta vez não vou culpar a tradução porque o que não gostei na escrita (e me pareceu bastante errado) foi mesmo a construção dos capítulos.
Nos capítulos demasiado rápidos os autores escolheram começar alguns com o meio em vez do inicio, ou seja, em vez de haver uma continuação da história, há saltos no tempo e introdução de novos personagens tipo para-quedas. Não há descrições completas, apenas alguns apontamentos físicos, e os personagens são introduzidos como se já fossem nossos velhos conhecidos. Fez-me muita confusão, pois há medida que ia lendo parecia que alguém tinha tirado páginas aleatórias do livro.
É um livro muito confuso, com uma história muito mal contada, com frases interrompidas.
A relação de Didi com a mãe foi contada como se houvesse imensa hostilidade, mas rapidamente acaba e o leitor fica sem saber muito bem o que se passou e o porquê de tanta agressividade de Didi para com a progenitora. Didi torna-se, portanto, uma adolescente pressionada pela mãe numa adolescente mimada, que apesar de não usar a sua suposta "beleza perfeita" a favor dela, também não prima pelo intelecto e sim pela futilidade típica/habitual da idade (fora excepções claro).
O que me confunde ainda mais é o facto de na contra capa descreverem a autora, Sari Luhtanen, como uma experiente escritora, mas como leitora o que me parece é que a ideia de Mikko Oikkonen, a ideia base, não foi bem aproveitada e sim muito mal aplicada. Uma escrita típica de jovem de 14 anos, e mesmo assim já li coisas muito melhores de gente muito mais nova.
Um livro que, confesso, não consegui ler até ao fim.


Romance feminino intenso com uma nova abordagem, onde combina vários elementos; amor e mistério. Uma nova temática que se destaca.
Uma história de amor emocionante, onde as escolhas determinam a forma de viver a realidade.
Com uma linguagem envolvente, o livro oferece-nos vários tipos de elementos - paixão, mistério, luta pela sobrevivência, crise de identidade e duelos entre os grupos de ninfas e sátiros.