19 de outubro de 2016

Opinião Contemporânea: "Viver Depois de Ti" de Jojo Moyes



Depois de tanto tempo acho que está na hora de colocar em palavras o que eu me lembro que senti quando li o livro e o que sinto agora.
Viver Depois de Ti já andava por minha casa há algum tempo, não pela capa, nem pelo título, mas pela autora, por isso é que tenha a versão inglesa. Apesar disto tudo acabei por lê-lo em português e em ebook quando o filme foi lançado. Sou uma enorme fã da autora, visto que todos os livros dela ficam nas quatro ou cinco estrelas, mas curiosamente este ficou apenas pelas quatro.
Penso que muitas vezes sou influenciada pelas opiniões demasiado positivas, que me fazem ter expectativas gigantes e depois ao ler o livro em vez de o achar maravilhoso e me entusiasmar com ele acabo por pensar: "para quê tanto frenesim".
Não vou dizer que não gostei do livro, pois tal como já disse adoro as histórias, personagens, etc desta autora, mas apesar de me ter emocionado no final, quando o terminei não senti aquela satisfação de um livro que me viciou. Não senti aquela contínua excitação que não acaba mesmo quando fechamos o livro. Gostei, mas faltou algo que o tornou perfeito. Talvez seja o final feliz. Eu sou uma mulher de finais felizes. Sou uma fã de finais, ponto. E só o facto de este não estar presente me faz ter vontade de bater o pé como uma criança amuada a reclamar por esse feito.
Mas falando do que gostei...
... adorei Lou. Adorei o seu jeito especial e diferente. Adorei a sua simplicidade em termos de filosofia de vida que a faz ser tão feliz, mas também adorei a sua excentricidade em relação aos seus gostos, tanto de roupa como de homens. Aqui tenho que dizer que apesar de muita gente não dizer eu acho que é difícil apaixonarmo-nos por alguém na situação de Will, principalmente porque ou estão muito na defensiva, como foi este caso, ou estão demasiado carentes. O preconceito ou o medo da diferença também nos faz afastar, ou pelo menos não aproximar, e portanto o começo de uma relação destas é raro ou impossível. Quando os acidentes acontecem no meio de uma relação, então aí já é diferente. Portanto, aqui está a minha parte preferida. A parte em que Lou conhece Will. A parte em que Lou não o vê como ele é fisicamente, mas sim como sentiu algo nele. A paciência de santa dela também teve alguma importância.
... adorei o sucesso deste livro. E espero que muitos mais com histórias românticas, ou não, como estas tenham tanto sucesso. Porque receio que este tenha ganho pela sua diferença, pelo seu casal de protagonistas ser fora do comum em romances. Portanto, toca a fazer apaixonar personagens longe de serem perfeitos.
... adorei Will e a sua transição de falta de vontade e força, para a sua decisão final.
... adorei a família de Lou. É uma família tão real! E por isso foi perfeita. O oposto da de Will, que de tão perfeita para um romance acabou por não ser nada original da parte de Jojo Moyes. Percebo a sua necessidade, tal como o facto de serem ricos, pois se não Lou não teria forma de entrar, mas não deixa de ser um ponto menos positivo.
... ainda não sei o que pensar do enfermeiro. O filme acabou por estragar a ideia que tinha dele, mas penso que ele é apenas um personagem secundário com alguma relevância e interferência(?).
... gostei da cena do casamento, mas a viagem deles de sonho acabou por ser meio banal. De qualquer forma, a autora com a sua escrita consegue-nos levar de viagem com eles e por isso não posso deixar de agradecer levarem-me assim de férias nem que seja só na minha imaginação.
Sinceramente não sei se quero ler o seguinte. Penso que a história deveria ficar por aqui e uma amiga que está a lê-lo concorda comigo. Mas a curiosidade não me vai deixar estar sossegada, por isso não prometo conseguir resistir.
Já agora, detestei o filme.

Lou Clark sabe muitas coisas. Sabe quantos passos deve dar entre a paragem do autocarro e a sua casa. Sabe que trabalha na casa de chá The Buttered Bun e sabe que não está apaixonada pelo namorado, Patrick. O que ela não sabe é que vai perder o emprego e que todas as suas certezas vão ser postas em causa.
Will Traynor sabe que o acidente de motociclo lhe tirou o desejo de viver. Sabe que agora tudo lhe parece triste e inútil e sabe como pôr fim a este sofrimento. O que não sabe é que Lou vai irromper na sua vida com toda a energia e vontade de viver. E nenhum deles sabe que as suas vidas vão mudar para sempre. 
Lou Clark sabe muitas coisas. Sabe quantos passos deve dar entre a paragem do autocarro e a sua casa. Sabe que trabalha na casa de chá The Buttered Bun e sabe que não está apaixonada pelo namorado, Patrick. O que ela não sabe é que vai perder o emprego e que todas as suas certezas vão ser postas em causa.
Will Traynor sabe que o acidente de motociclo lhe tirou o desejo de viver. Sabe que agora tudo lhe parece triste e inútil e sabe como pôr fim a este sofrimento. O que não sabe é que Lou vai irromper na sua vida com toda a energia e vontade de viver. E nenhum deles sabe que as suas vidas vão mudar para sempre.

2 comentários:

  1. Olá,
    Eu também detestei o filme. Não sei se foi porque tinha lido o livro recentemente, mas afinal não sou a única a pensar o mesmo.
    ;)

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito da opinião. Eu ainda não vi o filme e só o vou ver depois de ler o livro, prefiro sempre ler primeiro. :)

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!

Hoje fazemos 5 aninhos!

Bem vindas e bem vindos a mais um aniversário aqui do nosso cantinho, mais doce da blogosfera. Pois é, hoje comemoramos mais um ano...