31 de março de 2016

Primeiras Impressões: "Kindred Spirits"de Rainbow Rowell




A minha leitura actual!

O Bookdepository decidiu oferecer livros e quem comprou UMA cópia deste livro acabou por receber CINQUENTA em casa!!

Isto é que foi um negócio! Por puro acaso, encontrei a P7 do Bookeater/Booklover no Colombo e ela deu-me um dos muitos exemplares que tem lá em casa. Obrigadaaa <3

A capa não é nada de especial mas gosto das cores usadas. Posso dizer que estou a adorar o conto! 

Encontra as Diferenças: "Dragon Seer" e "The Keepers' Tattoo"



A trança está na moda. Só mudar a paisagem.

30 de março de 2016

A Sair do Forno: "Eve e o Caos"de Sylvia Day



Eve of Chaos Portugal


O 3º e último livro da trilogia está a chegar. 

Quando Evangeline Hollis cedeu a uma noite ardente com o sedutor Alec Caim, ela não fazia ideia de que, anos mais tarde, seria punida pela transgressão. Amaldiçoada por Deus, é obrigada a tornar-se caçadora de demónios para expiar os seus pecados.
Para Eve, viver com a Marca de Caim já é tão complicado que não quer arranjar mais problemas. Infelizmente, Satanás está demasiado furioso para lhe fazer a vontade.
Exasperado com a perda do seu animal de estimação, pôs a cabeça de Eve a prémio e os habitantes do Inferno estão a responder em massa. Algo que, para além de dificultar as caçadas de Eve, também traz o caos à sua vida.
Entretanto, Caim está cada vez mais distante. Apesar de ainda desejar Eve, a sede de poder está a dar-lhe a volta à cabeça. Eve acredita que o Caim que conhecia ainda existe, mas a frieza com que a trata está a aproximá-la mais de Abel, o irmão irreverente.
Eve poderá encontrar uma solução para os seus problemas... desde que faça um pacto com o próprio Diabo. Mas será assim tão fácil?

Sai dia 7! 

Continuação de:

A Sair do Forno: "Protege-me" de Maya Banks



Depois da Bertrand, da ASA e da Saída de Emergência terem a autora Maya Banks no seu catálogo, chegou a vez da Topseller trazer mais uma série da autora para Portugal.

Os direitos de publicação de Keep Me Safe, primeiro livro da nova trilogia de Maya Banks, Slow Burn, publicado em 2014, já foram assegurados para Portugal e o livro sai já em Abril

Misturando romance paranormal com erotismo, os livros giram em torno de uma empresa de segurança,a  Devereaux Security.

«É agora que digo: "Desculpa, querido, tenho uma dor de cabeça"? — perguntou Ramie num tom sonolento.
Ela bocejou amplamente, sentindo o maxilar estalar com o esforço antes de encostar novamente a face contra o peito nu de Caleb, aninhando-se, sonolenta, nos seus braços. Ele riu-se suavemente e passeou a mão pelo arco esbelto do corpo dela.
A pele de Ramie era macia como a de um bebé, seda da melhor qualidade. Ele estava a gostar bastante do simples prazer de a tocar, de a ter nos seus braços e na sua cama. Virou a cabeça o suficiente para pressionar os lábios contra a testa dela, junto à linha do cabelo.
— Vou deixar passar. Desta vez — disse, divertido.
De repente, apercebeu-se de que, durante alguns momentos roubados, tudo estava calmo. Em paz. Sem intrusões do mundo exterior. A intimidade envolvia-os no seu abraço suave.
— Como está a cabeça? — perguntou ele, passando os dedos pelos caracóis que se espalhavam pelo ombro dela. — Melhor?
Ela bocejou novamente e acenou com a cabeça, esfregando a face no peito dele.
Caleb gostava dela ali, nos seus braços, quente, doce e satisfeita.
Era ali que ela pertencia, quer o reconhecesse prontamente ou não. Ele podia ser um homem paciente quando a recompensa valia a pena, e o coração e a confiança de Ramie valiam completamente qualquer grau de paciência que ele fosse forcado a exercer na sua missão para selar aquele recém-formado relacionamento.»


A proteger dia 11 de Abril

A Sair do Forno: "Obstinada" de Sylvia Day



Enquanto não sai 'Eve e o Caos' da Porto Editora, a Quinta Essência vai lançando mais uma série da autora:

Como agente da Coroa, Marcus Ashford, conde de Westfield, travou inúmeras lutas de espada, foi baleado duas vezes e esquivou-se a muitos tiros de canhão. E, no entanto, nada o excita mais do que a fome primitiva que a sua ex-noiva, Elizabeth, desperta nele. Anos antes, ela trocou-o pelo jovem e inexperiente Lorde Hawthorne. Agora, cabe a Marcus defender a elegante viúva, e ele irá fazê-lo enquanto trata das outras necessidades dela, mais carnais, mostrando-lhe a profundidade do desejo de um verdadeiro homem...
Segredos perigosos conduziram ao homicídio do marido de Lady Hawthorne, segredos anotados num diário que muitos matariam para possuir. Mas confiar a sua proteção ao homem mais sedutor que ela já conheceu?
Ultrajante. Impensável. Irresistível. Pois foram as paixões fortes e o desejo ardente de Marcus que a assustaram e a levaram a abandoná-lo anos atrás... No entanto, o seu desejo por ele nunca diminuiu. Agora, ele quer estar ao seu serviço, em todos os sentidos. E talvez a atitude mais sensata seja não resistir à tentação, mas entregar-se a ela completamente...


Obstinada dia 26 de Abril  

29 de março de 2016

A Sair do Forno: "O Pacto" de Elle Kennedy



Se estão já em ressaca e querem mais livros New Adult, então vão ficar contentes com esta notícia.
"The Deal" primeiro livro da série "Off-Campus" da autora Elle Kennedy vai ser lançado já em Abril!


The Deal conta a história de Hannah Wells, uma jovem bem sucedida nos estudos mas não tanto a nível amoroso. Hannah fará de tudo para ter um encontro, mesmo que isso signifique o não tão estudioso e um pouco infantil, irritante e pretensioso Garret Graham. Tudo o que Garret sempre quis foi jogar hockey profissionalmente mas os seus estudos ameaçam o seu sonho. Portanto pedir ajuda a Hannah em troca de um encontro não parece assim tão mal certo?

Elle Kennedy é autora best seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal. Escreve romances de suspense e eróticos contemporâneos. Heroínas fortes e sensuais, e heróis sexy e musculados são marca dos seus livros, temperados com muito «calor» e alguns perigos, pelo que já conquistou um vastíssimo público leitor.

Quem ficou curioso? Sai dia 6!

Origem: "Tu, eu e todo o tempo do mundo" de Taylor Jenkins Reid




Uma capa feita com uma imagem simples! E é só a mim que quando vejo este livro começo a cantar aquela música da novela da TVI... "tenho todo o tempoooo do mundooooo"!

A male and a female hand on a wooden table

Pausa para Chocolates: "Milagre" de Deborah Smith



O livro de Tessa Dare continua a arrastar-se por isso decidi mantê-lo em pausa e começar este. Até agora estou a adorar a história, mas a tradução...
Sebastien de Savin é um brilhante cirurgião cuja habilidade e arrogância representam uma mistura explosiva. No passado, um segredo obscuro foi o responsável pelo endurecer do seu coração, até que um milagre acontece. O milagre dá pelo nome de Amy Miracle, uma rapariga tímida com um emprego de verão nas vinhas da família de Savin e a última pessoa pela qual alguém como Sebastien esperaria apaixonar-se. Um acaso junta-os: graças a Sebastien, Amy escapa de uma vida de pobreza e abusos psicológicos, adquire autoconfiança e progride numa carreira de sucesso. Graças a Amy, Sebastien reaprende a rir e desperta para o amor. No entanto, a vida real separa-os. Embora tendo passado pouco tempo juntos, a memória desses preciosos momentos assombra-os durante anos. Até ao dia em que os seus caminhos se cruzam novamente…

Encontra as Diferenças: "A Doçura da Chuva" e "Inconvenient"



O primeiro conhecem. E o segundo?

A Sair do forno: "Uma viscondessa fascinante" de Jennifer Haymore



Mais um livro de época em Abril 😊

Um novo romance erótico de Jennifer Haymore e que com grande romantismo nos prende desde a primeira página.Apanhado entre a Coroa que jurou servir e a mulher que começou a amar, Sam arriscará o coração - e a vida - para mantê-la em segurança.

Sai dia 6!

Continuação de:
Uma Duquesa em Fuga

28 de março de 2016

A Sair do Forno: "Tudo o que ficou por dizer" de Celeste Ng



"Lydia morreu. Mas eles ainda não sabem.”
Começa assim o avassalador romance de Celeste Ng. É de manhã, a família desperta para o pequeno-almoço. O pai, a mãe, o filho mais velho e a filha mais nova. Há porém um lugar vago à mesa e um silêncio que pesa. A filha do meio, a favorita dos pais, está ausente.
Como morreu, ou porque morreu, é para já um enigma. Há um inquérito, dúvidas, suspeitas e acusações. E uma teia delicada de dramas antigos, de segredos, que se vão desvendando pela voz (e pelo olhar) de cada um dos elementos da família. Apaixonamo-nos por eles, tão expostos (e tão frágeis) nesse momento de perda. Conhecemos a mãe, loura e de olhos azuis, que abandonou o sonho de uma vida pela filha – a quem depois virá a exigir o impossível. O pai, de ascendência chinesa, que projecta na única filha de traços ocidentais a sua própria integração na América. E conhecemos os irmãos de Lydia, a quem foram dadas apenas as sobras do amor – mas que nem por isso deixaram de a amar.
Tudo o que Ficou por Dizer é um romance pungente, narrado numa voz terna, por vezes poética, sempre precisa. É uma obra sobre os não-ditos, os abismos que se abrem nas famílias, os esquecimentos do amor. E sobre esse enorme mistério chamado Lydia, que na hora da sua morte ofereceu à família, por fim, uma hipótese de redenção.

Por dizer a 19 de Abril!

A Sair do Forno: "O desejo de Cassandra" de Madeline Hunter



Segundo livro da nova série da autora sai em Abril

O nome de Lady Cassandra Vernham é sinónimo de escândalo entre a alta-sociedade. Espantosamente, a jovem teve o descaramento de recusar o pedido de casamento do barão Lakewood, o homem que comprometeu a sua reputação. Abandonada pela família, Cassandra vê-se obrigada a vender em leilão os únicos bens que lhe restam. Mas a sorte não está do seu lado, pois as suas joias mais valiosas são arrematadas mas não são pagas.
O visconde Ambury não tem a mínima intenção de pagar a Cassandra. Para além de desconfiar que as joias são roubadas, nutre pela jovem um ódio tremendo, uma vez que a julga responsável pela morte do seu amigo Lakewood. Mas nem mesmo esse rancor trava a sua embaraçosa imaginação. Para mal dos seus pecados, Ambury não consegue impedir-se de a desejar, de sonhar com ela na sua cama, a realizar as suas fantasias mais ousadas.
O convívio constante dos dois, porém, revela-se fatal. As chamas provocadas pelos seus confrontos vão iluminar segredos obscuros que alterarão as suas vidas para sempre.

 A desejar dia 19 de Abril

Continuação:

Opinião Contemporânea: "Lobo solitário" de Jodi Picoult




Se alguma vez já leram Jodi Picoult, não ficarão desiludidos com este "Lobo Solitário". Se nunca leram, preparem-se para uma aventura de surpresas e emoções. 

Apesar de todos os livros da Jodi serem de alguma forma polémicos e controversos, abordando temas sensíveis e pouco debatidos, é por isso que gosto tanto desta autora, porque é das poucas que me faz realmente pensar e analisar o livro de um ponto de vista pessoal, perguntando-me o que faria eu se fosse a protagonista desta estória.

A trama principal é centrada na personagem de Luke, um homem que teve um acidente e encontra-se em coma ou em estado vegetativo. Luke, adora a vida animal e viveu durante dois anos com lobos num habitat selvagem deixando para trás Georgie, a mulher e Cara e Edward, os seus dois filhos. Georgie refez a vida e casou-se com Joe, um advogado, e Edward afastou-se da família partindo para Tailândia.  Apesar de não ser muito fã de animais selvagens, achei o ponto de vista de Luke - onde relata várias as experiências que viveu com os lobos e como funciona uma alcateia - interessantes mas não fascinantes. Contudo, estes capítulos denotam uma investigação aprofundada sobre a vida animal dos lobos e a autora merece o louvor em conseguir captar a atenção do leitor mas sem ser demasiado cientifica e com termos que sejam complicados para um leitor leigo. Embora não tenha ficado maravilhada com as descrições da hierarquia de uma alcateia, achei fascinante o amor que Luke sentia por estes animais e a forma como se identificava tão bem com eles, tornando-se ele um lobo solitário, apenas compreendido e aceite numa comunidade animal e selvagem.

O ponto central do livro desenrola-se em torno da eutanásia, apesar de tal termo nunca aparecer no livro. Edward sabendo que o pai queria ser doador de orgãos, vê-se no direito de desligar as máquinas obedecendo à vontade do pai, já Cara, que esteve no mesmo acidente que vitimou o pai, saindo apenas com ferimentos ligeiros, não sente o mesmo pois acredita que o pai ainda vai recuperar, apesar de haver quase uma certeza que Luke não irá recuperar e irá continuar em estado de coma durante muitos anos.

Aqui assistimos à dor e drama desta família desmoronada e em guerra, tentando tomar uma decisão que seja fiel à vontade de Luke. Cara tenta a todo o custo lutar pela vida do pai, mas Edward não cede. Aliás acho que a definição de família tem um peso importante na análise do livro. Luke praticamente só se sentia bem rodeado dos seus lobos e até é bastante irónico a autora mostrar tanta dedicação de Luke a uma alcateia quando ele próprio nem conseguia sentir-se integrado no seu meio familiar. Sendo que hoje em dia é tão debatido a definição de uma família normal, achei interessante que a autora mostrasse que por vezes uma família não sei baseia em laços de sangue.

Quanto às personagens não posso dizer que não tenha gostado do Edward mas gostava de te visto mais argumentos da parte dele e mais força em querer ganhar o caso...não sei mas pareceu-me que as razões da Cara eram mais evidentes. Não fiquei muito convencida com o Edward embora eu também achasse que fosse o mais correcto a fazer mas isso é porque sou céptica em milagres e pessimista em que estes não irão acontecer.

O final (epílogo) foi subtil pois a autora não dá a entender bem o que aconteceu depois do que acontece no último capítulo e sinceramente até achei dispensável. Quanto à decisão final entendi que o final foi o mais adequado e pôde-se ver que há males que vêm por bem. Gostava era de ter sabido como Edward e Cara seguiram com a vida depois da decisão que tomaram. 

Mais um bom livro de Jodi Picoult que levanta questões éticas e morais com um desfecho que pode não ser do agrado de todo o leitor, mas que recomendo pela reflexão sobre a vida, a morte e como as nossas acções têm as consequências que muitas vezes não queremos.

Quando um lobo sabe que o seu tempo está a terminar e que já não é útil à sua alcateia, muitas vezes escolhe afastar-se. Morre assim afastado da sua família, do seu grupo, mantendo até ao fim todo o orgulho que lhe é próprio e mantendo-se fiel à sua natureza.Luke Warren passou a vida inteira a estudar lobos. Chegou inclusivamente a viver com lobos durante longos períodos. Em muitos sentidos, Luke compreende melhor as dinâmicas da alcateia do que as da sua própria família. A mulher, Georgie, desistiu finalmente da solidão em que viviam e deixou-o. O filho, Edward, de vinte e quatro anos, fugiu há seis, deixando para trás uma relação destroçada com o pai. Recebe então um telefonema alarmante: Luke ficou gravemente ferido num acidente de automóvel com Cara, a irmã mais nova de Edward. De repente, tudo muda: Edward tem de regressar a casa e enfrentar o pai que deixou aos dezoito anos. Ele e Cara têm de decidir juntos o destino do pai. Não há respostas fáceis, e as perguntas são muitas: que segredos esconderam Edward e Cara um do outro? Haverá razões ocultas para deixarem o pai morrer… ou viver? Qual seria a vontade de Luke? Como podem os filhos tomar uma decisão destas num contexto de culpa, sofrimento, ou ambos? E, sobretudo, terão esquecido aquilo que todo e qualquer lobo sabe e nunca esquece: cada membro da alcateia precisa dos outros, e às vezes a sobrevivência implica sacrifício.Lobo Solitário descreve de forma brilhante a dinâmica familiar: o amor, a proteção, a força que podem dar, mas também o preço a pagar por ela.

 

25 de março de 2016

Encontra as Diferenças: "The Sugar Queen" e "Ice Road"



Parecidas, mas não iguais.

A Sair do forno: "A Rainha de Tearling" de Erika Johansen



E hoje trazemos mais um grande lançamento para vocês! Está a chegar a Portugal uma trilogia que tem dado muito que falar lá fora, especialmente na comunidade do Booktube. Falamos do livro "The Queen of the tearling" da autora Erika Johansen que irá chegar pela Editorial Presença. Lá fora, já saiu o segundo livro. 
Durante dezoito anos, o destino de Tearling ficou nas mãos do Regente, manipulado pela Rainha Vermelha, uma feiticeira implacável que governa o reino vizinho de Mortmesme. Porém, Kelsea Glynn, sobrinha do Regente, é a legítima herdeira do trono. Quando completa dezanove anos, está pronta para reclamar o que é seu - e assim regressa do exílio com o objetivo de tornar Tearling um reino livre de pobreza, opressão e escravatura. Mas Kelsea é jovem, ingénua e cresceu longe da corrupção e dos perigos que assolam o reino. Cedo lutará pelo trono e pela própria sobrevivência, num caminho de crescimento em que aprende a lidar com uma herança muito pesada.
Será Rainha se sobreviver para reclamar o trono.

A Reinar dia 6 de Abril :D  

24 de março de 2016

Origem: "As Fadas de Edimburgo" de Elizabeth May



Cabelo preto ou castanho?


Warrior woman. Fantasy fashion idea.

Opinião New Adult: "Não é tarde para amar" de Monica Murphy





Depois de um 3º livro mais fraco, a ansiedade em terminar mais uma série e a adrenalina do fim da maratona literária deram-me ânimo para o 4º livro. Além disso, eu já sabia que este 4º livro era sobre o Owen e portanto estava muito curiosa par ver quem e como seria o seu par romântico.

Sempre gostei do Owen e da sua personalidade de bad-boy. Aqui conseguimos ver em transparência como é um bom miúdo, apenas é influenciável pelo mal que o rodeia. Falo claro da influência negativa que a mãe tem na vida dele mas também nos problemas em que se mete com os amigos. 

Posso dizer que adorei o par romântico. Eu já suspeitava que a outra metade do Owen fosse totalmente diferente e não me enganei, realmente a Chelsea é bem diferente do Owen. Tipo preto e branco, dois pólos opostos. Ainda assim a autora conseguiu criar uma relação tão natural entre os dois que me deixou num estado romântico o dia todo.

Gostei particularmente da evolução da relação que começa com tutora-aluno, passando a amigos e depois namorados. Entendi bem as inseguranças e reticências da Chelsea face ao Owen e o seu medo em arriscar e depois ficar magoada. Claro que também foi muito engraçado ver o Owen caído de amores por ela e a tentar protegê-la da mãe. Apesar das personagens serem cliché, elas são tão realistas que é impossível apontar algum defeito quanto à sua caracterização. 

Foi óptimo rever a Fable e o Drew e de como o Drew era uma referência para o Owen. A relação da Fable com o irmão é basicamente goals. 

Depois da Adele só faltava a mãe do Owen e da Fable ter um final que merecesse e isso finalmente aconteceu. 

Ler os 4 livros de seguida foi uma óptima opção. Admito que não quis ler as duas noveletas da série porque não quero despedir-me destas personagens já. 

Livro lido no original em formato digital no Cybook Muse Frontlight da Bookeen.
Sem rumo. Isso resume tudo na minha vida. Suspenso da minha equipa de futebol da faculdade e forçado a diminuir o número de horas que trabalho num bar por causa das minhas más notas, não posso continuar a correr para o colo da minha irmã, Fable, e do seu marido, Drew, à procura de ajuda. Parece que não consigo encontrar o meu próprio caminho. Droga e sexo são tentações irresistíveis. Um tutor é a última coisa que eu quero agora, até vê-la.
Chelsea não é de todo o meu tipo. Ela é inteligente e muito tímida. Eu tenho certeza que ela é ainda uma virgem. Mas quando ela me olha de alto a baixo com aqueles penetrantes olhos azuis, eu fico completamente perdido. Mas de uma maneira diferente. Eu não vou negar que o corpo dela é de morrer, mas é a sua cabeça e o modo como ela parece desejar o amor - como se nunca tivesse sido amada - que me faz deseja-la mais do que a qualquer rapariga já conheci. Mas o que é que alguém aparentemente tão composta como ela pode ver num tipo sem rumo como eu?

 

23 de março de 2016

Encontra as Diferenças: "The Real Mason" e "The Men"



Capas marotas... e iguais. A terceira é da família, ou então foi noutro dia com outras cuecas e... brinquedos.

Compilação: "When I'm Gone" e "When You're Back" de Abbi Glines



O que esta saga tem de bom, ou mau, é o facto de não conseguirmos aguentar nem mais um minuto para ler o próximo depois de terminar o anterior. Aqui como temos dois livros para casa casal, mais ou menos, sabemos com o que podemos contar, mas ao mesmo tempo ansiamos por isso. Foi o caso da história de amor de Mase e Reese.
Adorei aquele inicio em que ele é o herói da cinderela. Mase sempre me conquistou, não tanto como Rush ou Woods, mas no seu jeito de cowboy e no seu coração puro ele é um excelente espécime masculino. Logo no primeiro capítulo ele prova isso mesmo, que não nos desilude quando chega a vez dele.
Já o tínhamos visto em acção em relação à sua irmã Harlow, mas quando lhe calha a sorte ele mantém-se fiel a si mesmo.
Por sua vez Reese não foi das minhas personagens femininas preferidas, mas confesso que começo a achar que sou eu que ando muito exigente para as escolhidas para os meus meninos, ou os meninos de Abbi Glines, e que lhes perdoo-o tudo e a elas nada.
Esta, de facto, parece-me ser das personagens mais sofridas e com um passado mais negro e aí criei muita empatia para com ela, mas a sua auto-estima, a maneira como ela lida com qualquer coisinha que Mase faça ou diga começa a irritar, porque Mase é tão puro e ela devia ser a primeira a acreditar nele. Mas não! Ainda por cima influenciou a mãe de Mase e mais uns quantos personagens secundários que por ali andaram. Por isso no segundo livro, When You're Back, ela aprende a lição mas só mais para o final.
A questão do problema dela acrescentou algo mais à história, o que foi positivo, mesmo acrescentando ainda mais drama em volta desta personagem. Achei que ela aprendeu rápido de mais, o que não pareceu nada realista, mas como não sou terapeuta da fala nem nada parecido não vou julgar ainda mais. A personagem de Capitão, o meio-irmão de Blair (para quem não se lembra aparece quando ela foge para o barco do pai e ele aparece e mete-se com ela), para mim foi uma surpresa porque já não me lembrava de tal pessoa. Para além disso é uma personagem algo "agressiva" para o casal amoroso que acrescentou mais dúvidas onde já as haviam em grande quantidade. Ainda veio fazer o mesmo, mas esta sempre acrescentou uns sentimentos mais picantes em termos de irritação para uma história que me começava a parecer demasiado melodramática. Assim sempre abanou um pouco as coisas.
Nan também continua a mesma, mas sinceramente com o que ela fez por Harlow pensava que ela já estaria melhor, mas não, víbora como sempre.
Depois no fim do primeiro livro aparece milagrosamente o pai de Reese e a sua família! Passo em falso aqui da nossa autora... que coisa mais cliché e mais morna. O que acaba por representar toda a história que para além daquele inicio sexy e de algumas cenas mais picantes não passou disso.
De resto, em termos de cenários, houve uma mudança de Rosemary Beach que talvez tenha sido um aspecto positivo, mas como sou fã desta praia e dos que lá vivem senti um pouco a falta.

Sinopse aqui

Sinopse aqui

Pausa para Chocolates: "O Principezinho" de Antoine de Saint-Exupéry



A minha primeira prenda da Páscoa foi esta. Não há coisa mai linda?
Antoine de Saint-Exupéry publicou pela primeira vez «O Principezinho» em 1943, quando recuperava de ferimentos de guerra em Nova Iorque, um ano antes do seu avião Lockheed P-38 ter sido dado como desaparecido sobre o Mar Mediterrâneo, durante uma missão de reconhecimento. Mais de meio século depois, a sua fábula sobre o amor e a solidão não perdeu nenhuma da sua força, muito pelo contrário: este livro que se transformou numa das obras mais amadas e admiradas do nosso tempo, é na verdade de alcance intemporal, podendo ser inspirador para leitores de todas as idades e de todas as culturas.
O narrador da obra é um piloto com um avião avariado no deserto do Sahara, que, tenta desesperadamente, reparar os danos causados no seu aparelho. Um belo dia os seus esforços são interrompidos devido à aparição de um pequeno príncipe, que lhe pede que desenhe uma ovelha. Perante um domínio tão misterioso, o piloto não se atreveu a desobedecer e, por muito absurdo que pareça - a mais de mil milhas das próximas regiões habitadas e correndo perigo de vida - pegou num pedaço de papel e numa caneta e fez o que o principezinho tinha pedido. E assim tem início um diálogo que expande a imaginação do narrador para todo o género de infantis e surpreendentes direcções. «O Principezinho» conta a sua viagem de planeta em planeta, cada um sendo um pequeno mundo povoado com um único adulto. Esta maravilhosa sequência criativa evoca não apenas os grandes contos de fadas de todos os tempos, como também o extravagante «Cidades Invisíveis» de Ítalo Calvino. Uma história terna que apresenta uma exposição sentida sobre a tristeza e a solidão, dotada de uma filosofia ansiosa e poética, que revela algumas reflexões sobre o que de facto são os valores da vida.

Primeiras Impressões: "Lobo Solitário" de Jodi Picoult




A leitura do momento é este livrinho! 

Não, não desatei a comprar exemplares do mesmo. Já tinha comprado o ebook quando ganhei o passatempo da Bertrand em que um exemplar é para mim e outro para vocês. "
Adoro a capa e em breve podem ver a imagem completa na rubrica "Origens".

Opinião e passatempo em breve também! :D 

22 de março de 2016

A Sair do forno: "Receitas para Melissa" de Teresa Driscoll



A comovente despedida de uma mãe. Melissa tem oito anos quando a mãe morre. Nunca chegam a despedir-se. Treze anos mais tarde, é-lhe entregue um diário que a mãe escreveu para ela. Quando alisa as páginas e começa a ler as últimas palavras da mãe, Melissa é imediatamente transportada para a infância. A emoção que sente é imensa, mas este presente é também um cruel lembrete de que não tornará a ver a mãe. À medida que percorre as páginas do seu precioso livro, lê os conselhos que a mãe lhe deixou e prepara os pratos seguindo as suas receitas, mas vai também descobrindo os segredos da mãe. Segredos esses que podem mudar para sempre a vida de Melissa.

A sair dia 15 de Abril 

Hoje fazemos 5 aninhos!

Bem vindas e bem vindos a mais um aniversário aqui do nosso cantinho, mais doce da blogosfera. Pois é, hoje comemoramos mais um ano...