7 de setembro de 2015

Opinião Suspense: "Perigo Irresistível" de Becca Fitzpatrick




Uma surpresa óptima até para os meus gostos. Passo a explicar: Apesar da sinopse estava à espera de um romance YA mais... YA. Mas não! É mesmo um policial/thriller em que encontramos uma história cheia de cenários, com poucas e boas personagens. Há quantidades equilibradas de raiva, inveja, atracção, vingança, etc. Todos os sentimentos, mesmo os mais negativos estão em quantidades óptimas para nos agarrarmos ao livro (neste caso o Kobo) e não o largarmos até ao fim.
O suspense é grande, mas a autora vai-nos dando pistas muito fracas para o mau da fita. Tanto que adivinhei quem seria antes do meio do livro. Não sei se foi por não haver química entre mim e o personagem em questão, que não vou revelar para não arranjar spoilers, pelas atitudes dele mais negativas que positivas, não sei! Só sei que não me inspirou minimamente confiança nenhuma e por isso quando tudo se revelou a surpresa não foi nenhuma. Foi mais uma espécie de confirmação.
A personagem principal, Britt Pheiffer, foi um pouco contraditória. Tanto parece ser corajosa, cheia de vontade de fazer as coisas, de seguir em frente, de enfrentar tudo e todos, até a natureza, como por outro lado pareceu-me bastante fraca em relação aos rapazes. Atraiu-se por todos, beijou metade e agarrou-se tanto a um e ao seu Passado que até me deu vómitos. Este foi talvez o ponto mais negativo de todo o livro: esta fraqueza de Britt em relação a Calvin. Demasiado dependente para o meu gosto. E tanta dependência não contribuiu em muito para o desenrolar da história.
De qualquer forma, este ponto negativo é rapidamente esquecido e/ou ignorado no decorrer da leitura tal é a acção, o mistério e mesmo os crimes que vão acontecendo ou sendo descobertos. Tal como a autora fez no prólogo, acho que ela devia ter feito o mesmo em relação às outras duas vitimas. Nunca é agradável ler a descrição destes crimes, mas acho que já que esta é obra é um thriller porque não termos mais duas descrições e conhecermos melhor o autor destas atrocidades?
Em relação a Mason, adorei-o desde o primeiro momento em que aparece. No inicio não me apercebi do seu importante papel, mas quando ele volta a aparecer e depois das primeiras atitudes fica tudo muito mais claro. Adorei.
O mesmo não aconteceu com a amiga de Britt. O seu contributo foi mesmo só irritar o leitor.
Becca Fitzpatrick apresenta-nos aqui uma obra muito diferente da saga Hush Hush. Apesar desta também ser YA achei-a muito mais madura do que a outra. Certos pontos poderiam ter sido mais desenvolvidos como os que indiquei ou até as cenas com os animais, mas de resto os diálogos estão bons, e as descrições tanto dos cenários como das acções estão 5*.

Britt Pheiffer sonha há mais de um ano com umas férias repletas de aventura.
Treinou vários percursos pelas Montanhas Rochosas, comprou equipamento especial e até se sente confiante para levar consigo a melhor amiga, mais adepta de centros comerciais do que do ar puro das montanhas.
Poucas horas após o início da viagem, um nevão inesperado obriga-as a refugiarem-se numa cabana abandonada, aceitando a hospitalidade dos seus dois estranhos ocupantes: dois homens jovens, atraentes e… em fuga.
Feita refém, Britt é obrigada a guiá-los pela montanha e espera conseguir aguentar-se tempo suficiente até Calvin - o ex-namorado que ainda não conseguiu esquecer - poder encontrá-la.
Nada é o que parece nesta aventura nas paisagens inóspitas do Wyoming. Mason, um dos raptores, é estranhamente simpático para Britt. Já Shaun é claramente um homem perigoso.
Mas será Britt capaz de resistir à perigosa atração que Mason parece exercer sobre ela e, por fim, sobreviver?

1 comentário:

  1. Opá eu ouvi opiniões tão negativas que era tão previsível que fiquei sem vontade de ler, agora tenho de reconsiderar a minha decisão! :)

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!

Hoje fazemos 5 aninhos!

Bem vindas e bem vindos a mais um aniversário aqui do nosso cantinho, mais doce da blogosfera. Pois é, hoje comemoramos mais um ano...