3 de junho de 2013

Opinião Histórica: "A Filha do Rei" de Barbara Kyle


Opinião do volume anterior - A Aia da Rainha.

Mais uma vez Barbara Kyle não desilude, pelo contrário, continua a deslumbrar-nos com paisagens de Inverno lindíssimas que nos encantam e nos envolvem à medida que vamos lendo o desenvolvimento dos acontecimentos.
Tal como previa, muitas das minhas dúvidas finais no A Aia da Rainha vão sendo respondidas, principalmente nos primeiros capítulos.
Pela sinopse pensei que Isabel Thornleigh iria ser a personagem principal, mas a escritora mostra-nos antes várias personagens mais desenvolvidas e proeminentes ao longo do livro. Tanto nos trás de volta "velhos" amigos, que já conhecemos tão bem, como nos encanta com novas e interessantes personalidades, que tal como todas as outras nos dispertam tantos sentidos e opiniões divergentes.
Neste exemplar o romance não está tão presente como no primeiro, mas a mistura deste com mistério, acção e aventura continuam tão ou mais apeteciveis e viciantes - desde a luta incessante e eterna de Honor pelos mais fracos e que sofrem, até à busca do pai, viagem e opções de Isabel. Adorei a especificidade das prisões, com os seus horrores internos. Foram os momentos mais emocionantes, ainda mais que os confrontos entre os lealistas e protestantes.
Barbara não nos esconde o final. Prefere sim deslumbrar-nos com o enlace, com os pormenores de cada pensamento e movimento que se apresentam a cada momento.
Admiro bastante o pormenor de cada livro corresponder a uma geração Thornleigh, e espero que assim continue.
Mais uma vez o final é deixado em aberto.
Dúvidas sobre o que aconteceu a Honor, sobre o casamento da Rainha Maria com o Principe Filipe, ou sobre o destino de Carlos, Isabel e o respectivo pai, ficam a pairar sobre o leitor no momento em que termina a última página e fecha o livro.
Não posso deixar de dar os parabéns mais uma vez pela capa, que é tão linda e fiel à época retratada no livro.

A Filha do Rei é o segundo volume da série Thorn­leigh e, tal como o pri­meiro livro da autora publi­cado em Por­tu­gal, A Aia da Rai­nha, é um romance his­tó­rico situ­ado no tempo de Hen­ri­que VIII. O novo romance de Bar­bara Kyle passa-​se na Ingla­terra dos Tudor, durante o rei­nado de Maria I, a rai­nha san­gui­ná­ria (Blo­ody Mary, em inglês) e revela dados iné­di­tos sobre este con­tur­bado período da his­tó­ria euro­peia. No livro, a autora levanta a pos­si­bi­li­dade de a sobe­rana ter quei­mado os ossos de Hen­ri­que VIII, seu pai, cri­ando assim a dúvida se de facto este está sepul­tado onde se crê estar. Rico em deta­lhes de uma época pró­diga em epi­só­dios e per­so­na­gens fas­ci­nan­tes, A Filha do Rei não poupa o lei­tor a ima­gens cruas e impres­si­o­nan­tes sobre o cár­cere de famí­lias intei­ras, sobre ali­an­ças maqui­a­vé­li­cas em torno do poder e sobre a luta de uma mulher pelo futuro de uma nação… Isa­bel I.

The King's Daughter (Thornleigh, #2) 


Título Original - The Kings Daughter
Edição - Setembro 2010
ISBN - 9789896570965





Sem comentários:

Enviar um comentário

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!