22 de maio de 2013

Opinião Histórica: "A Senhora dos Rios" de Philippa Gregory


Tenho uma certa pena de não ter lido este livro em primeiro. Ao inicio pensei que foi uma grande falha da parte da editora, mas à medida que fui lendo do meio para o final fui-me apercebendo que podemos ler A Senhora dos Rios com a mesma intensidade como se fosse o primeiro desta trilogia. Talvez até mais.
Mais uma vez noto que Philippa Gregory tem algo de diferente na maneira como conta as suas histórias. Talvez seja mesmo isso - ela conta uma história em que o narrador é o principal, mas sem apagar a "luz" de todas as outras personagens.
Outro ponto forte desta escritora é a maneira como ela transmite os sentimentos e acções mais crus do Homem. Como ela mete a nu toda aquela crueldade e egoísmo, mas também todo o amor e carinho, estes dois últimos aqui muito bem transmitidos através de Ricardo e Jacquetta. É sem duvida o melhor casal de personagens que já li nos últimos tempos.
A magia e a religião mais uma vez estão presentes em quantidades q.b. tal como o medo e a segurança aliadas a eles, respectivamente.
Os cenários de guerra, apesar de descritos aos poucos e indirectamente pelos mensageiros, estão muito vividos e além de nos fazerem sentir empatia pelos que estão no meio da batalha também nos fazem sentir o mesmo por quem espera pelos seus homens.
Uma cena que me fez muita impressão é quando Jacquetta e a Rainha Margarida estão muito próximos da batalha e nos descrevem alguns dos horrores que acontecem depois, i.e. pilhagem e violações. Fico particularmente sensível quando me descrevem estas ultimas.
O final, para quem já leu A Rainha Branca, vai trazer aquele sentimento de nostalgia e fazer-nos ter vontade de pegar novamente nesse volume e reler, no mínimo, essa primeira parte. E é o que eu vou fazer logo que esteja perto dele!
Frase Preferida:
"Uma joia de casa para um diamante de uma duquesa." página 115

Jacquetta é casada com o Duque de Bedford, regente inglês da França, que lhe dá a conhecer um mundo misterioso de conhecimento e de alquimia. O único amigo de Jacquetta é o escudeiro do duque, Ricardo Woodville, que está a seu lado quando a morte do duque faz dela uma viúva jovem e rica.
Os dois tornam-se amantes e casam em segredo, regressando à Inglaterra para servir na corte do jovem monarca Henrique VI, onde Jacquetta vem a ser uma amiga próxima e leal da sua nova rainha.
Depressa os Woodville conquistam uma posição no núcleo da corte de Lencastre, apesar de Jacquetta pressentir a crescente ameaça vinda do povo da Inglaterra e o perigo de rivais pretendentes ao trono. Mas nem a coragem e a lealdade dos Woodville bastam para manter no trono a Casa de Lencastre. Jacquetta luta pelo seu rei, pela sua rainha e pela sua filha Isabel, para quem prevê um futuro extraordinário e surpreendente: uma mudança de destino, o trono da Inglaterra e a rosa branca de Iorque.


Título Original - The Lady of the Rivers
Edição - Fevereiro 2012
ISBN - 9789722630115

1 comentário:

  1. Já li alguns livros desta escritora, gostava muito de ler este. Leem-se num instante, pois tem uma escrita muito cativante.

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!