24 de maio de 2013

Opinião Histórica: "Crónicas de Paixões e Caprichos" de Julia Quinn

Citando-me a mim própria:
Alguém me conhece explicar porque é que esta família não é real e eu não os conheço pessoal e intimamente?
Crónica de Paixões e Caprichos  (Bridgertons, #1)Alguém me explica porque é que eu não sou a melhor amiga de Daphne para estar sempre rodeada por aqueles irmãos? Desde o primeiro encontro deles, à cumplicidade entre mãe e filha, aos bailes até ao charme dos irmãos este romance é suculento até mais não. É de derreter uma leitora até ficar em estado liquido!
Pronto, dá para ver o quanto eu gostei deste romance, que começa de maneira muito caricata e que depois vai evoluindo subtilmente para um amor cheio de paixão e sensualidade.
Esta obra está então cheia de momentos altos que vão deliciar qualquer uma.
Não há muito a dizer sobre esta Crónica, apenas que vale a pena ler e até reler, principalmente se precisarem de inspiração para qualquer coisa.
Estou ansiosa pelos seguintes!

Actualização:
Tal como eu previa, Crónica de Paixões e Caprichos pode-se ler e reler que as gargalhadas vão ser as mesmas, os suspiros iguais e paixão tipo fã-do-Justin-Bieber em relação aos irmãos Bridgerton a mesma... ou até pior!
Sendo assim, este livro foi lido em duas assentadas e só pela simples razão de que há sempre necessidade de dormir.
Julia Quinn comprova mais uma vez, através das personagens principalmente, o seu sentido de humor e a sua originalidade no plot.
Para ela não basta só colocar um conjunto de personagens numa determinada época e fazê-las passar por um drama qualquer de virgindade, mas coloca mães audazes e competitivas com filhas virgens e castas (mas com os calores) e libertinos altos, elegantes e bonitos, resultando assim numa crónica familiar, mas com aquele toque sensual que a sedução masculina lhe dá.
Gostei também da interferência do Passado de Simon no futuro deste casal, apesar de achar que era uma desculpa muito fraquinha da parte dele para não se querer casar, mas pronto... a autora tinha que arranjar ali alguma coisa para dificultar a vida a Daphne.
Outros momentos que ficam na memória é, sem dúvida alguma, o primeiro encontro deles e o duelo. Ambos muito caricatos, apesar do segundo ser um pouco mais sério.
Concluido, um romance viciante que ao tomar-lhe o gosto só queremos é pegar no seguinte... que foi o que fiz.
As mães casamenteiras da alta sociedade londrina, estão ao rubro. Simon Bassett, o atraente (e solteiro!) Duque de Hastings, está de volta Inglaterra. O jovem aristocrata mal sabe o que o espera pois a perseguição das enérgicas senhoras é implacável. Mas Simon não pretende abdicar da sua liberdade tão cedo…
Igualmente atormentada pela pressão social, a adorável Daphne Bridgerton sonha ainda com um casamento de amor, embora a sua espera por um príncipe encantado comece já a ser alvo de mexericos.
Juntos, os jovens decidem fugir de um noivado, o que garantirá paz e sossego a Simon e fará de Daphne a mais cobiçada jovem da temporada. Mas, entre salões de baile e passeios ao luar, a paixão entre ambos rapidamente deixa de ser ficção para se tornar bem real. E embora Daphne comece a pensar em alterar ligeiramente os seus planos inicias, Simon debate-se com um segredo que pode ser fatal.




Título Original - The Duke and I
Edição - Março 2012
ISBN - 9789892317762


2 comentários:

  1. Se gostaste deste então o segundo, aquele Anthony!
    Nunca mais é publicado é o livro do Colin (do pouco que se lê dele e já faz suspirar :P)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também já li o do Anthony (opinião amanha/hoje).

      O do Colin já cá canta também mas em ing.

      Eliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!