24 de abril de 2013

Opinião Sobrenatural: "O Vampiro Secreto" de L.J. Smith


Ainda não sei como é que não me fartei de vampiros e criaturas da noite, mas a verdade é que continuam tão ou mais atraída por elas que antes. Penso que o que está correcto é dizer que não consigo saciar este gosto e curiosidade pelas várias versões, histórias e personagens que os escritores nos apresentam.
Confesso que as histórias não variam muito, mas há sempre algo, por muito subtil que seja, que marca a diferença e que no final da leitura me faz sorrir de satisfação. Culpem Stephanie Meyer ou agradeçam-lhe, qual delas não sei, o que sei é que foi ela que colocou cá o bichinho, e por muito infantis que sejam estas obras eu vou sempre lê-las e gostar.
Inocente é o melhor adjectivo para O Vampiro Secreto. Apesar de conter mortes, mordidelas, etc, este livro não tem nada para maiores de 14.
Notei grande diferença neste aspecto, e quem já tiver lido A Irmandade da Adaga Negra ou Os Caçadores da Noite vão notar a ausência da bolinha vermelha virtual no canto. Digo-vos, aqui o mais próximo que vão ler vai ser um beijo na testa. Poderá faltar esse aspecto para tornar o livro mais empolgante ou adulto, mas posso dizer que a história está bem conseguida, apesar de ser curta.
Gostei da abordagem à doença, principalmente ao cancro e à referência da TAC, visto que é da minha área.
Gostei da capa e da sinopse. A personagem feminina é um pouco ao estilo de "Bella", muito frágil mas que afinal tem puderes muito fortes. Mas o irmão gémeo dela compensa, tal como o James, que apesar de ter também um pouco de "Edward" é menos insonso.
O que mais gostei foram as descrições das mordidas e da sugação de sangue. Normalmente estas partes não são descritas, tal como a transformação em vampiro, mas L.J. Smith descreve isso tudo e de maneira criativa.

O Mundo da Noite não é um lugar. É um mundo de vampiros, de bruxas e entidades que mudam de forma que vivem no mundo dos humanos - com as suas próprias regras. E as duas primeiras regras do Mundo da Noite são simples:
1. Nunca revelar a sua existência a um humano.
2. Nunca apaixonar-se por um humano.
Poppy, uma rapariga corajosa e insolente, sempre se sentiu em forma. Até um dia em que descobre que sofre de uma doença rara e lhe dizem que tem apenas algumas semanas de vida.  James, o seu melhor amigo e o rapaz mais cobiçado do liceu, depara-se com um dilema aflitivo. Pode transformar Poppy num vampiro como ele, ou deixá-la morrer.  Mas revelar a Poppy a existência do Mundo da Noite é quase tão perigoso como deixá-la morrer de uma doença humana, porque James transgrediu, na verdade, as duas regras do Mundo da Noite e apaixonou-se por ela.

Secret Vampire (Night World, #1)


Título Original - Secret Vampire
Edição - Fevereiro 2010
ISBN - 9789896570590




Sem comentários:

Enviar um comentário

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!