4 de janeiro de 2013

Opinião Suspense: "Irmãos de Sangue" de Nora Roberts


Irmãos de Sangue é o primeiro volume da trilogia Signo dos Sete, em que os "irmão" são três amigos que nasceram no mesmo dia, de 7 de Julho, à mesma hora, muito perto um dos outros. Ao trocarem um pouco de sangue num juramento de permanecerem amigos para sempre quebram uma maldição que vai tornar os habitantes de Hawkins Hollow mais confusos durante sete dias de sete em sete anos.
Cal Hawkins vai protagonizar este primeiro livro e emparelhar com Quinn, uma jornalista com tomates... segundo ela.
Em termos da história, achei-a bastante intensa e diferente de qualquer outra que tenha lido de Nora Roberts.
Primeiro, começa com um prólogo passado no ano de 1652. Até aí tudo bem, visto que tinha que contar como tudo começou.
Segundo, dedicou alguns capítulos à relação de Cal, Gage e Fox quando tinham 9 anos e quebraram a maldição. Aqui achei diferente pelo simples facto de estar habituada a alguns feedbacks indirectos e não capítulos inteiros sobre três miúdos que mentem aos pais para ir beber e fumar para um bosque amaldiçoado, onde cortam os pulsos e ganham poderes. Além disso, a tradutora (?) pô-los a falarem com uma linguagem um pouco excessiva e mal-criada mesmo para rapazes de tão tenra idade. E esta não parou por aqui, continuando mesmo quando eram adultos - até podem ver nas citações, em duas pequenas citações, o vocabulário que é usado. É um exemplo representativo do resto dos diálogos.
Terceiro, quando Nora pega na história em tempo mais actual, quando os três amigos vão fazer 31, é quando a obra começa com o rumo habitual de Nora Roberts. Com as suas descrições de cinco estrelas e as suas personagens cheias de emoções.
Mas, e lá vou eu outra vez, não foi bem assim.
A autora desta vez além de nos apresentar os três protagonistas dos três livros da trilogia, inseriu não só a personagem feminina Quinn, como a Layla. Para mim é algo invulgar, principalmente quando nos primeiros momentos em que se conhecem, Layla e Fox, que serão o par do próximo livro, não têm qualquer faisca a meu ver. Chega mesmo a ser um momento bastante "seco", sem qualquer compatibilidade entre os dois, o que me levou a pensar que Layla iria ser afinal uma personagem passageira, o que não é verdade...
Outra aspecto que quero salientar, é o facto de normalmente, ou na maior parte das vezes, Nora Roberts exprime as emoções, tentações e desejos do par romântico através de actos ou reacções, descritos pelo narrador. Em Irmãos de Sangue ela vai interpretar tudo através do diálogo entre Quinn e Cal, o que a mim transforma tudo um bocado falso, sem trocas de olhares ardentes e com diálogos em que parece que eles se estão a declarar um ao outro, sem sentirem o que estão a dizer.
O primeiro beijo foi sem dúvida uma desilusão e quase o passava sem perceber bem o que se estava a passar. Tive mesmo que voltar atrás, porque apesar de uns toques na mão e de uma admiração pelo fisico e pela coragem de Quinn não houve mais nenhuma indicação óbvia da atracção entre os dois. Só mesmo aquela percepção que temos por sermos fãs de Nora, de que estes dois iriam acabar envolvidos. Só tenho pena é que desta vez a autora não tenha exprimido nada de nada.
Sinceramente penso que isto nunca tinha acontecido de maneira tão óbvia. Em Levado pelo Mar sinto esta falta de ligação entre o par amoroso Cameron e Anna, mas mesmo assim penso que se nota melhor a faísca do que aqui.
Se me disserem: ah e tal, a autora não se focou tanto na atracção entre estas duas personagens porque o que está em primeiro plano é a maldição e o demónio. Então aí sim, bato palmas porque aí sim notei o verdadeiro poder da escrita da autora. Arrepiei-me literalmente inúmeras vezes durante esta leitura.
Mas se não é o caso então devo dizer que este livro, em termos de romance, foi uma desilusão.
De qualquer forma, apartir mais ou menos do capítulo nove esta situação começa a melhorar e as descrições de sentimentos a aumentar, o que acabou por corrigir um pouco, mas fiquei sempre com a sensação de que o livro se poderia dividir em dois em termos de romance, mas sendo um em relação ao suspense e ao thriller aqui inserido.
Tenho que referir que achei a personagem Quinn extremamente e insuportávelmente convencida, tanto a nível do seu intelecto como dos seus atributos físicos. Detestei-a mesmo.
Mais para o final comecei a compreender o porquê deste livro não me ter deslumbrado. É que mais uma vez ele não é bem o primeiro livro de uma trilogia. Tal como disse, não temos aqueles romances e pares separados por volumes. Este livro é uma terça parte de outro e isso pode-se confirmar pelo final de Irmãos de Sangue, que termina como se fosse um capítulo e não um livro.
Achei a parte final muito rebuscada, mas em parte pode ter sido já pela ausência do meu entusiasmo na história.
Concluindo, continuo a preferir a fórmula 2+2+2 do que a 6:3, if you know what i mean. Esta última não funciona assim tão bem, principalmente nos diálogos em grupo em que não se percebe metade das vezes quem é que disse o quê visto haver poucos indicativos individuais.
Vou esperar com ansiedade o próximo volume, se não o ler em ebook entretanto, para ver se faço as pazes interiores com a minha querida escritora preferida.

Citações Preferidas:
"- Tens um rabo fantástico e uma atitude de merda (...).
- Ela tem razão, tenho dito o mesmo muitas vezes acerca do teu rabo e da tua atitude." página 231

"- (...) Se ele a magoar, arranco-lhe a pila e dou-a de comer ao cão (...).
- Ela está um pouco ameaçadora - concluiu Fox.
- Não é a única. Eu asso-lhe os tomates para a sobremesa. - Layla saiu atrás de Cybil. - Tenho de arranjar alguma coisa para fazer o jantar.
- É curioso, neste momento não tenho grande apetite. - Fox lançou um olhar a Gage. - E tu?" página 241
Na pacata cidade de Hawkins Hollow, três amigos que partilham a mesma data de aniversário fogem para os bosques para uma noite de divertimento. Mas o que era apenas uma brincadeira rapidamente se transforma num pesadelo quando o juramento de irmãos de sangue que fazem liberta uma maldição de trezentos anos. Vinte e um anos depois, Cal Hawkins e os seus amigos assistem a uma semana de tragédias inexplicáveis que assombram a sua cidade, e que se repete a cada sete anos. Quinn, uma famosa jornalista, está decidida a descobrir a maldição que paria sobre Hollow e, apesar dos protestos de Cal, fará tudo para desvendar esse mistério. Mas quando os primeiros sinais malévolos voltam a surgir, não é apenas a sua terra que Cal tem que proteger, mas também o seu coração.




Título Original - Blood Brothers
Edição - Novembro 2012
ISBN - 9789897100406





3 comentários:

  1. Estou actualmente na recta final deste livro (ou seja, vou entrar no último capítulo) e houve algo que escreveste que me deixou a pensar... este é, sem dúvida, ou só pode ser, a terça parte de um outro livro, pois estando já nas páginas finais, uma presumível conclusão ou final em aberto parece-me tarefa impossível tendo em conta o que falta... como sabes, desconheço o estilo de Roberts mas, ainda assim, parece um pouco estranho, este fim. :/ Contrariamente, estou a achar a Quinn uma protagonista fantástica, aliás, se não fosse o humor muitas vezes proveniente dela, acho que o livro não teria nem um terço do seu encanto. =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu se não engraço com as personagens no inicio esquece. A Quinn tem muitas saidas de eu sou boa e tu sabes que eu sou boa e inteligente e corajosa bla bla bla. e foi esta atitude que cortou logo uma grande amizade!

      Eliminar
  2. Gosto demais de todos os livros de Nora Roberts, especialmente a Trilogia da Magia.
    Gostaria muito de saber quando vão lançar Irmãos de Sangue no Brasil.
    Muito Grata, abraços Laurette

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!