29 de janeiro de 2013

Opinião Suspense: "Fumo Azul" de Nora Roberts


Graças aos desafios de 2013 e às leituras conjuntas que posso finalmente começar a diminuir a minha lista de livros da Nora Roberts por ler. O primeiro foi o Irmãos de Sangue e agora chegou a vez do Fumo Azul.
Ora, Fumo Azul, foi muito mais compatível do que o último livro desta autora. Penso que a culpa é principalmente das personagens, tão cativantes, principalmente a família italiana que nos é apresentada e vai ser acrescentada do ínicio ao fim.
Bowen Goodnight não pertente a este grupo, mas é uma das razões principais que me fez agarrar neste livro e devorá-lo em pouco tempo. Nora Roberts foi inteligente ao inserir a história deste personagem aos poucos, no inicio, quando ele não fazia parte da vida de Reena. Assim vamos conhecendo a sua "afeição" e a sua boa personalidade, para que quando a sua vida se cruzasse com a de Catarina não o achassemos estranho como ela!
Posso afirmar que Bo é neste momento o mais lindo, romântico, compreensívo, podre de bom, personagem dos livros de Nora. Quem não resiste a um carpinteiro humilde, corajoso, dedicado à sua mulher de sonho, de cabelos negros e olhos verdes? Perfeito!
A ausência de separação de capítulos, principalmente quando há saltos no tempo, foi um dos aspectos negativos da obra. Se fosse para o livro não ficar muito grosso eu compreendia, mas as folhas são espessas e ainda puseram cinco capítulos de um livro da Jill no final... por isso, a razão não foi essa.
Outra pior, ainda relacionada com o ponto anterior, é a ausência de parágrafos a separar cenas em que se troca de POV, que se nota bastante no final.
Quer dizer, Nora Roberts teve o livro todo a mostrar o ódio de Joey por Reena e depois... quase nada. Ainda por cima a descrição da cena pareceu-me um pouco baralhada. Primeiro estava a Reena a lutar com o Joey, depois descreve o Bo a ir ver dela, ainda por cima sem desconfiar pela demora dela, e quase no mesmo parágrafo o POV muda para a Reena outra vez? Muito confuso...
De resto, e se não contarmos com este último acontecimento, acho que a obra está muito bem construida. Cheia de pormenores acerca do fogo, do trabalho dos bombeiros, investigadores e polícias, etc. Para melhorar está a parte mais sentimental, da união da família, dos amigos como irmãos, das perdas, dos ganhos. Uma obra cheia de sentimentos e emoções e também de descrições de cenários e actos que nos transportam para lá. Mesmo ao género de Nora Roberts.

Citações preferidas:

"- Podias vir à minha casa beber café... só que eu não tenho café. Vês, é mesmo na porta ao lado. Podias aparecer para beber uma cerveja, ou uma cola. Ou para ficar o resto da tua vida." página 166

"- Não tens que me acompanhar até à porta ao lado, Bo.
- Claro que tenho. Pode haver ladrões. Ou extraterrestres. Nunca se sabe.
(...)
- Vai para casa.
- Se calhar, agora devias acompanhar-me a casa. Tu é que és da polícia." página 226

"(...) - Ei! Tomaste a vacina do tétano ultimamente? Adoro dar essas.
(...) - Seria melhor se lhe perguntasse a ela.
- Seria melhor se eu não ajudasse o Xander a segurar-te enquanto ele te faz um exame à próstata.
- Esses é que são mesmo divertidos. - concordou Xander." página 289

Podem reler a sinopse no Doce do Momento a Duas.

Blue Smoke



Título Original - Blue Smoke
Edição - Novembro 2011
ISBN - 9789897100192




5 comentários:

  1. Eu estou na página 100! estou a gostar

    ResponderEliminar
  2. Opá, não consigo opinar os livros da maneira que fazes, nem me lembrar desses pormenores, mas concordo contigo em como a história é espectacular e como o Bo é cá uma personagem! :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a prática. Daqui a algum tempo vais ver que reparas em tudo. Uma Pro =P

      Eliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!